PROJETO – “Conviver e Aprender para a Prática da Cidadania”

PROJETO – “Conviver e Aprender para a Prática da Cidadania”

A parceria entre Assistência Social e Educação, através do CRAS e EM José Jesus Paes, existe desde 2013 quando houve a mudança de local da sede do CRAS, que localizava-se no território do bairro Figueiras, a fim de que houvesse a continuidade do atendimento do Serviço de Convivência anteriormente executado naquele território.
O público atendido no serviço de convivência e fortalecimento de vínculos executado pelo CRAS junto à EM José Jesus Paes é formado por crianças, alunos da escola, em situação de vulnerabilidade social residentes na área rural, a maioria beneficiária do Programa Bolsa Família, com pouco ou nenhum acesso a atividades de arte, cultura, esporte e lazer, bem como a brinquedos e jogos.
Devido a distância entre as moradias nos bairros atendidos, é comum encontrarmos crianças que vivem isoladas e têm a escola como única oportunidade de convivência social. Além disso, há muitos casos de alcoolismo nas famílias, o que agrava, por exemplo, problemas de violência doméstica e negligência.
No decorrer do ano de 2015, realizamos um levantamento junto aos professores e verificamos que para atender toda demanda identificada seria necessário duplicar o número de vagas do serviço. Além disso, observou-se a necessidade de implantação de outra unidade do serviço na região central do município, pois, quando as crianças e adolescentes passam para o 6º ano, são transferidas para outras escolas da região central e o trabalho é interrompido dada a inexistência de serviços compatíveis no território.
Diante desta necessidade o CRAS começou a buscar novas fontes de recursos. Inicialmente junto ao Ministério de Desenvolvimento Social, pleiteando o co-financiamento do Piso Básico Variável destinado a execução de Serviços de Convivência. Porém, recebemos a resposta que temos que aguardar uma ampliação prevista a partir de 2016. Ao tomar conhecimento do Edital 2015 da Fundação Itaú Social, o CRAS elaborou proposta de ampliação do Serviço, denominada “Conviver e Aprender para a prática da cidadania”, e encaminhou ao CMDCA que enviou a Fundação. A proposta foi aprovada e o recurso solicitado foi depositado no Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente para ser aplicado em 2016.
As ações foram ampliadas, neste ano, em dois espaços: EM José Jesus Paes (Bairro Figueiras) e EM Comendador Rodovalho (Vila Brasilina).
A EM Comendador Rodovalho foi escolhida para implantação de uma nova unidade de atendimento do Serviço de Convivência. Ela é uma das três maiores escolas do município que ofertam o Ensino Fundamental I e II (1º ao 9º ano) e recebe a maioria dos alunos da EM José Jesus Paes quando concluem o ensino fundamental I.
Além das ações de atendimento direto a crianças e adolescentes o projeto prevê também, a implantação de uma brinquedoteca e reestruturação da sala de vídeo na EM José Jesus Paes; o atendimento e acompanhamento das famílias das crianças e adolescentes atendidos nos serviços, através do PAIF – Serviço de Proteção e Atendimento Integral a Famílias; capacitação de profissionais da rede pública de ensino, coordenadores e monitores dos serviços de convivência e fortalecimento de vínculos da rede pública e privada e capacitação para conselheiros municipais.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *