Entenda como funciona o CCZ – Centro de Controle de Zoonoses
Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância Sanitária e Zoonoses
11-4715-2942

Entenda como funciona o CCZ – Centro de Controle de Zoonoses

CCZ – Centro de Controle de Zoonoses:

Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Alumínio é o órgão responsável pelo controle de agravos e doenças transmitidas por animais (zoonoses), por meio do controle de pragas urbanas como baratas, ratos, mosquitos, entre outros, e pelo controle das populações de animais domésticos como cães e gatos.

Ao contrário do que muita gente pensa, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), órgão da Fundação Municipal de Saúde, não cuida de animais, mas de doenças que eles podem transmitir para os serem humanos como:  Leptospirose, Doença de Chagas, Febre Maculosa, Raiva, Dengue entre tantas outras que podem levar as pessoas à morte. Isso não quer dizer que o CCZ seja insensível aos animais.  Ao contrário, através de palestras e em sua página na internet constantemente são passadas informações importantes sobre Posse Responsável e dicas necessárias para que eles tenham boa saúde e os pets estejam por muito tempo ao lado de seus donos.

Eutanásia

O CCZ não sacrifica animais há mais de 10 anos. Essa prática foi abolida anteriormente à lei 12.916 de 2008. A única exceção para a eutanásia é quando o dono apresenta um laudo médico veterinário atestando que o animal está em estado terminal e que não responde mais a tratamentos. Sem esse documento o procedimento não é realizado.

O CCZ também não recolhe animais nas ruas, responsabilidade da Secretaria de Meio Ambiente.

 

 CCZ não é clínica veterinária

Outro engano muito comum é as pessoas acreditarem que o CCZ oferece atendimento médico veterinário. Isso não acontece. Não há equipamentos de raio-x ou de ultrassom, por exemplo. O atendimento veterinário é realizado em casos específicos de zoonoses e castração.

 

A preocupação maior, no entanto, está relacionada às enfermidades que atingem o homem através dos animais. Para alertar as pessoas sobre os riscos de um contato mais próximo com algumas espécies, o CCZ orienta sobre a prevenção de doenças que muitas vezes são desconhecidas da população.

Agentes de Combate às Endemias realizam trabalhos nas residências,  Agentes de Controle de Vetores cuidam de Pontos Estratégicos, como borracharias, reciclagens e Imóveis Especiais como escolas e indústrias.

 

Adoção de Animais:

Adotar é tudo de bom! Além de você ajudar um animal abandonado, você ganha um amigo.

No Centro de Controle de Zoonoses de Alumínio há muitos cães e gatos que aguardam uma família. São diversos animais Sem Raça Definida – SRD, de pelagem curta, longa, filhotes, adultos, idosos, de todas as cores e alguns portadores de deficiências físicas, o que não os impedem de interagir e dar muito amor às pessoas.

Confira cinco benefícios que o animal de estimação pode trazer:

  • Diminui a depressão e a ansiedade da família;
  • Melhora a qualidade de vida da família;
  • Ajuda no desenvolvimento das pessoas com necessidades especiais;
  • Auxilia no desenvolvimento e na socialização das crianças;
  • Colabora para o desenvolvimento do senso de responsabilidades.

 

Que tal então adotar?

Para adotá-los é preciso ser maior de idade, estar portando um documento de identidade e se responsabilizar formalmente. Os interessados devem entrar em contato com o CCZ pelo (11) 4715-5602 ou por meio do Disque Adoção no (11) 4715-7221.

Cuidados a serem tomados por quem quer ter um cão ou um gato de estimação:

  • Providenciar alimentação e água;
  • Fazer a higienização do local onde o animal fica;
  • Dar remédio para verme e levá-lo para tomar vacina contra raiva e viroses, uma vez por ano;
  • Para imunizá-lo, procure um veterinário de confiança, para se sentir seguro em relação à forma de armazenamento da vacina, pois se for armazenada de forma errada ela pode perder o efeito;
  • Se não tiver espaço em casa para o cão se exercitar, é importante levá-lo para passear, para evitar que ele tenha estresse ou problemas comportamentais.

 

Controle de Profilaxia da Raiva e outras Zoonoses:

A vacinação anual contra raiva e outras zoonoses, além de obrigatória por lei, é o fator de maior relevância para garantir a manutenção de controle de doenças em cães e gatos e, por consequência, para a população humana.

Os serviços oferecidos pelo CCZ:

  • Vacinação antirrábica gratuita;
  • Observação de animais agressores (referentes às notificações de agressão feitas pelo serviço de saúde);
  • Recolhimento de animais errantes em estado critico de doenças, atropelados ou agressivos com notificação realizada no serviço de saúde;
  • Animais domiciliados somente serão recolhidos após avaliação técnica se já tiverem agredido alguém, impossibilitando a convivência da família, ou mesmo se forem portadores de doença grave transmissível ao homem;
  • Alojamento, acolhimento e assistência médica – veterinária para os animais do canil, que depois de reabilitados e aptos são encaminhados para adoção.

 

Algumas informações úteis:

  • A partir dos três (03) meses de idade, cães e gatos sem exceção, devem ser vacinados contra raiva todos os anos, incluindo lactantes, cadelas prenhes ou no cio;
  • Não permita que seus cães e gatos tenham livre acesso à rua;
  • Mantenha o animal sob controle ao sair, utilizando coleira e guia;
  • Não toque em animais estranhos, feridos ou que estejam se alimentando;
  • Não aparte briga entre animais, nem mexa com fêmeas e suas crias.

 

Em caso de acidentes por mordedura ou arranhadura de cães e gatos:

  • Lave o ferimento com água e sabão e procure orientação médica;
  • Identifique o animal agressor e seu proprietário para saber se o animal está com as vacinas em dia;
  • Caso o animal não tenha dono, desapareça, adoeça ou morra, procure imediatamente orientação com o Centro de Controle de Zoonoses pelos telefones: (11) 4715-7221.

 

Dengue:

A dengue é uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti em nosso meio ambiente. Para evitar a sua propagação, há necessidade de eliminarmos os locais que acumulam água e servem de criadouro para o mosquito, principalmente em nossas residências.

Alguns cuidados que podemos tomar:

  • Pratos de vasos de plantas devem ser preenchidos com areia;
  • Tampinhas, latinhas e embalagens plásticas devem ser jogadas no lixo e as recicláveis guardadas fora da chuva;
  • Latas, baldes, potes e outros frascos devem ser guardados com a boca para baixo;
  • Caixas d’água devem ser mantidas fechadas com tampas íntegras sem rachaduras ou cobertas com tela tipo mosquiteiro;
  • Piscinas devem ser tratadas com cloro ou cobertas;
  • Pneus devem ser furados ou guardados em locais cobertos;
  • Lonas, aquários, bacias e brinquedos devem ficar longe da chuva;
  • Entulhos ou sobras de obras devem ser cobertos e destinados ao lixo correto;
  • Cuidados especiais para as plantas que acumulam água como BroméliaEspada de São Jorge, ponha água somente na terra.

O programa municipal de controle da dengue é composto das seguintes atividades:

  • Visitas Domiciliares – a cada 60 dias todos os imóveis do município devem receber uma visita do agente de vigilância ambiental;
  • Pontos Estratégicos – são imóveis diferenciados como borracharias, transportadoras, ferros velhos e outros que devem receber visitas quinzenais;
  • Disque Dengue – todas as denúncias recebidas pelo telefone (11) 4715-5602são atendidas em ate 48 horas, através de uma visita técnica com orientações aos munícipes e outras ações, quando necessário;
  • Nebulização – De acordo com a necessidade;
  • Tratamento Larval – realizados em todos os valões que estejam limpos com produtos biológicos, que funcionam como larvicida;
  • Atividades de Bloqueio de Casos de Dengue – esta atividade é realizada em casos de dengue confirmados por laboratório, de acordo com critérios epidemiológicos, realizados pelos técnicos do programa municipal de controle da dengue.

 

Pragas Urbanas:

  • As pragas urbanas são todas as espécies de animais que vivem em áreas urbanas e rurais e oferecem risco à saúde, prejuízos econômicos ou ambos. As pragas migram para as zonas urbanas buscando alimentação e abrigo, o que é proporcionado pelo próprio homem, quando esses mantêm ambientes sujos e quando depositam lixo em locais inadequados. Dentre as principais espécies encontradas em áreas urbanas destacam-se as baratas, ratos, mosquitos, moscas, cupins, formigas e pombos.
  • Todas as denúncias de relatos de pragas recebidas pela população por meio de ofícios, telefones e e-mails são atendidas no prazo de acordo com a demanda. Um técnico é enviado ao local, em até 72 horas, para a realização de uma avaliação técnica e ações de acordo com cada situação.

 

ORIENTAÇÕES PARA CONTROLE DE CARAMUJOS

O verão é um período chuvoso, apesar de os últimos dias terem sido de sol. Mas o Centro de Controle de Zoonoses lembra que após a chuva, os caramujos africanos (que já se tornaram uma praga no Brasil) se proliferam, pois eles gostam de ambientes quentes, úmidos e com sombra. Os quintais das residências e os terrenos abandonados são lugares para a reprodução dos moluscos. Em Alumínio desenvolve um trabalho de orientação em relação aos cuidados com o animal.

A orientação é que o caramujo seja coletado. Quem for fazer a coleta deve estar com as mãos protegidas com luvas ou sacolas plásticas. Depois, o caramujo deve ser colocado em uma lata e queimado. As conchas devem ser quebradas para não acumular água, evitando assim que elas se tornem depósito de larvas do mosquito da DENGUE . Caso os moradores queiram esclarecer alguma dúvida sobre o assunto é só ligar para 4715-5602

O animal chegou ao Brasil na década de 80. Ele foi trazido de forma ilegal, por produtores rurais, como uma alternativa mais rentável para substituir o Escargot. Contudo, a iniciativa não foi bem sucedida. Abandonado, ele se tornou uma praga que poucas pessoas sabem como combater. O molusco transmite a Meningite e o Sinofília, pois ele atua como hospedeiro intermediário de um verme, o Angiostrongylus Catonensis, agente etiológico da doença. De acordo com estudos, o ser humano participa do ciclo como um “hospedeiro acidental” do verme, ao ingerir alimentos que estejam contaminados por um meio do contato com secreção do animal. Outra forma de contágio é o consumo, (não remendado) destes moluscos parasitados.

 

Atendendo à solicitação de moradores e devido à infestação de CARAMUJOS onde está localizada sua residência, descrevemos abaixo algumas importantes orientações que deverão ser seguidas por todos que residem nessas imediações.

 Cuidados em relação ao caramujo africano

  • Não ingeri-lo
  • Lavar bem as hortaliças, verduras e frutas com água corrente e deixar de molho em solução de água sanitária (cândida) a 2,5% (uma colher de sopa de água sanitária diluída em um litro de água) durante 15 a 30 minutos. Outra maneira é deixar de molho em vinagre (uma colher de sopa de vinagre para um litro de água).
  • Não tocar nos caramujos sem proteção
  • Lavar as mãos com água e sabão, caso haja algum contato com o molusco
  • Não transportá-los nem jogá-los vivos em terrenos baldios, ruas, matas, restingas, córregos etc.

Como fazer o controle restringe-se, basicamente à catação manual periódica desses animais e dos ovos (proteção das mãos com uso de luvas ou sacos plástico) e posterior eliminação, preferencialmente por incineração. Pode-se também coletar os caramujos e posteriormente esmaga-los e enterrá-los acrescentando uma colher de cal virgem para evitar a contaminação do solo.

 

Orientação para controle de Pombos

 O pombo (Columbalivia) é uma ave que faz parte da família dos columbídeos, originária da Europa. Foram introduzidos por volta do século XVI na América do Sul, e se adaptaram aos centros urbanos pela facilidade de encontrar abrigo e alimento. São encontrados no mundo todo, principalmente nas grandes cidades, com exceção das regiões polares. Na natureza, os pombos têm a função de controlar insetos e disseminar sementes das plantas que utilizam como alimento – as sementes são eliminadas nas fezes, prontas para germinar no solo.

Abrigam-se em locais altos, como torres de igreja, forro de telhados, topos e beirais de edifícios, vãos de instalação de ar condicionado, etc. São aves não migratórias e permanecem no mesmo local a vida inteira. Fazem seus ninhos de forma muito rudimentar e com qualquer material, como gravetos de árvores, canudos plásticos, pregos, e até esqueletos de outros pombos sobre seu próprio excremento.

Os pombos vivem de 15 a 30 anos na natureza, e somente de 3 a 5 anos nas cidades. Formam casais por toda a vida, tendo de quatro a seis ninhadas por ano, cada uma com até dois filhotes – os ovos são incubados por 17 a 19 dias. Os filhotes começam a voar com 30 dias, e tornam-se adultos entre seis e oito meses de idade.

Nas grandes cidades há muitas pessoas que alimentam os pombos com milho, pão e até restos de refeições. Recebendo esse alimento, as aves deixam de buscar na natureza os alimentos adequados à sua dieta, como grãos, frutos e sementes. A oferta ou escassez de alimentos influencia a reprodução dos pombos. Em locais onde há fartura de alimentos ocorre o aumento da população destas aves. Se há escassez de alimentos, a população tende a diminuir até chegar a um patamar de equilíbrio. Sua densidade populacional é relacionada às particularidades dos locais que habitam, e à facilidade de acesso ao alimento e ao abrigo.

 

Riscos à saúde

Vários fungos e bactérias podem se desenvolver nas fezes ressecadas dos pombos. A inalação da poeira desses restos, além do consumo de água e alimentos contaminados por estes micro-organismos, pode causar graves doenças respiratórias, como a Criptococose e a Histoplasmose.

Geralmente, as vítimas destas doenças são pessoas que convivem com grande quantidade de aves em ambientes fechados, sem padrões de higiene e sem controle veterinário, ou pessoas com deficiências imunológicas causadas por doenças pré- existentes.

 

Principais doenças transmitidas por meio de fezes e dejetos dos pombos:

  • Criptococose
  • Histoplasmose
  • Clamidiose
  • Salmonelose
  • Dermatites
  • Alergias

 

Problemas ambientais

  • As fezes dos pombos podem contaminar a água e os alimentos, tornando-os impróprios para o consumo.
  • As fezes ácidas dos pombos causam danos em pinturas, superfícies metálicas, monumentos e fachadas.
  • Em locais onde os pombos são alimentados ocorre proliferação de roedores e insetos.

Métodos de manejo populacional

  1. Medidas de médio e longo prazo.
  • O manejo adequado de restos alimentares, rações, o acondicionamento correto do lixo são medidas relevantes no controle de pombos.
    • Realizar a remoção periódica de ninhos, com coleta e descarte dos ovos e limpeza dos pontos onde os pássaros se abrigam.
    • Não alimentar as aves.
  • Controle de abrigos
  • Vedação de espaços de abrigos
  • Uso de telas protetoras
[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

91 Comentários. Deixar novo

Marcos alexandre dos Santos
27 de janeiro de 2021 7:07 am

Por favor, minhas filhas trouxe um cãozinho bebê e minha casa não tem condições, como faço para ajuda lo. Não tem como eu ficar com ele. . E não tenho para quem doar. Por favo de uma luz.

Responder

Marcos boa tarde, gentileza entrar em contato com a Zoonose pelo numero de telefone, 11-4715-7221.

Responder

Como proceder diante de uma infestação de ratos no bairro? Por favor me informem os canais necessários pois aqui onde moro virou caso de saúde pública

Responder

Sra. Aline boa noite, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone 11-4715-2942 ou pelo e-mail visa@aluminio.sp.gov.br
Também temos em nosso site o E-Sic Sistema de Atendimento e Informação ao Cidadão, após um breve cadastro poderá realizar pedidos diversos para a administração publica bem como acompanhar o processo através do mesmo sistema e receber resposta em até 15 dias.

Responder

Por favor, passo numa rua aonde tem um cachorro que ataca latindo, aonde faço fazer a denúncia ?

Responder

Angela bom dia, gentileza entrar em contato com a Zoonose através do telefone 11-4715-7221

Responder

Gostei deste texto. Bem esclarecedor….

Responder

Olá, resgatei 6 gatinhos na rua porém não posso ficar com eles pois moro em uma kitnet pequena e é proibido animais aqui, estou desempregada não estou conseguindo comprar a ração pra eles sempre, queria saber como vocês podem me ajudar.
Já tentei doar mas até agora ainda não consegui

Responder

Laiana boa tarde, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone 11-4715-2942

Responder
Priscila dos Santos Silva
1 de abril de 2021 1:01 pm

Oi, eu tenho uma cachorra que está com um tumor razoavelmente grande, porém a cirurgia é muito cara e infelizmente não irei conseguir pagar, ela está tomando remédios porém não irá ajudar por muito tempo no câncer que ela tem. O que eu posso fazer?

Responder

Priscila boa tarde, gentileza entrar em contato pelo telefone 11-4715-2942

Responder

Boa tarde!
Tenho uma cachorra q está mt doente e por conta disso eu tive toxoplasmose. Gostaria de saber como faço para retirá-la daqui, pois estamos com medo de infectar mais alguém.

Responder

Jonathan boa noite, gentileza entrar em contato pelo telefone 11-4715-2942

Responder

Bom dia, moça estou ligando no telefone 114715-7221 e não chama. Tem outro numero de contato?

Responder

Bom dia, gentileza entrar em contato pelo telefone 11-4715-2942 Vigilância Sanitária.

Responder

Boa Tarde
Minha irmã ouviu chocalho de cascavel no quintal da casa dela. Ela está com medo por ela e pelos seus três gatos. O que fazer.

Responder

Margarida boa tarde, gentileza entrar em contato com o setor de Zoonoses pelo numero de telefone 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder

aonde encontro um centro de zoonose de toxoplasmose ?

Responder

Cleiton boa tarde, gentileza entrar em contato através do número de telefone 11-4715-2942 ou 11-4715-7221

Responder
Isaque Gomes de Souza
20 de abril de 2021 8:39 pm

Eles também cremam animais domesticos de graça?

Responder

Isaque boa tarde, desconheço o serviço de cremação de animais realizada pelo CCZ da cidade de Alumínio, favor entrar em contato pelo telefone 11-4715-2942

Responder

Boa noite!
Tenho uns vizinhos, no quintal deles ficam 2 cachorros presos o dia inteiro. Os mesmos latem a qualquer movimento feito por outras pessoas que moram no local. Começam latir por volta das 7h 30 min. Eles são mantidos em cativeiro, já conversei com os donos que não fizeram absolutamente nada. Além de comprometer minha rotina, atrapalha as aulas do meu marido e da minha filha. Já estamos sofrendo há cinco meses.
A quem devo recorrer nesse caso?

Responder

Patrícia boa tarde, gentileza entrar em contato através do número de telefone 11-4715-2942 ou 11-4715-7221

Responder

Na rua onde moro, tem muitos gatos soltos ( muitos filhotes) e não sabemos quem são os donos. Alguns foram envenenados e outros ficam escondidos nos pneus dos carros, com risco de atropelamento. Quem pode nos ajudar com isso?

Responder

Vanessa boa tarde, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do número de telefone 11-4715-2942 ou com o Centro de Zoonoses através do número de telefone 11-4715-7221.

Responder
Patrícia Amaral Camargo
6 de maio de 2021 5:07 pm

Boa tarde ,sei que não é o caso dos senhores ,minha cachorrinha está sem movimento nas patas ,os senhores poderão me informar se o Hospital Escola está atendendo casos emergenciais pesados ,pois ela está com a pata e o ombro deslocado ,os senhores poderia me informar se tem algum órgão atendendo ,pois sou desempregada e não tenho condições de levar a um veterinário particular ,desde já agradeço.

Responder

Patrícia boa noite, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone, 11-4715-2942.

Responder
Rosemary Barbara
12 de maio de 2021 10:42 am

Olá bom dia quando um animal morre
Oque se fazer com corpo dele leva para zoonoze

Responder

Rosemary boa noite, gentileza entrar em contato com a equipe da Zoonoses para melhores informações

Responder

Minha gata foi diagnosticada com aquela doença dos fungos e a veterinária falou para eu buscar a medicação em alguma zoonoses. Sabe em qual eu consigo o remédio itraconazol 100mg

Responder

Fabiana boa tarde, gentileza entrar em contato com a Zoonoses pelos através dos telefones, 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder

Bom dia. Como proceder? Abandonaram alguns gatinhos aqui em frente a minha casa. Eu comecei a dar comida e água, e eles não foram embora. Conclusão: se reproduziram e agora tem uns 30 gatos. E detalhe, estão doentes. O que fazer? Eles não são meus. Me ajudem, por favor. Isso tem me trazido problemas com os vizinhos. Não sei o que fazer.aguardo uma resposta. Obrigada

Responder

Sra. Angela boa tarde, gentileza entrar em contato com a Zoonoses através do telefone 11-4715-4221 ou 11-4715-2942

Responder
Débora Faria Souza
20 de maio de 2021 4:44 pm

Preciso de ajuda para uma gatinha com esporitricose

Responder

Débora boa noite, favor entrar em contato com a equipe da Zoonoses.

Responder

Bom dia, estou tendo um problema imenso e não sei mais a quem recorrer, moro de aluguel e meus vizinhos inquilinos da outra casa, adotaram uma gatinha e desde o início eu alertei sobre a importância da castração e fui ignorada, eu mesma tenho 7 gatos pois resgatei enquanto pude hoje em dia já nao resgato mais mesmo pq o proprietário nao permite. O caso é q a partir dessa gatinha, ja ocorreram 2 ninhadas e hoje os vizinhos tem 8 gatos e nenhum deles é castrado, durante a madrugada um gato apareceu e cruzou com uma das fêmeas e provavelmente vai ocorrer de ter outros filhotes mt em breve. Ja notifiquei a Imobiliaria diversas vezes pois eles nao compram mais areia pra q façam as necessidades e sendo assim tem uma casa abaixo ds minha q vive cheia de coco mas a imobiliária só diz q esta acompanhando e isso ja faz mais de 5 meses, o fedor é tao grande q nem coloco a cara pra fora no quintal, sei q os bichinhos nao tem culpa mas acredito q os donos e a própria imobiliária tem sim pois nenhum dos lados se prontifica a entrar em acordo. Me preocupo e estou desesperada pois tenho um filho bebe de 8 meses em casa e reclamo desde os 3 meses de vida dele devido o cheiro e as possíveis doenças q sao transmitidas fora q com a chuva a agua acaba ficando parada o q pode ocasionar a dengue, temo muito pelo meu bebê. Minha casa é completamente telada e a dos demais vizinhos tbm, somente esse casal é despreocupado com o bem estar dos bichos e o incômodo q trazem, podem me ajudar?

Responder

Jéssica boa noite, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone 11-4715-2942 e solicite um registro de reclamação por motivos de saúde publica.

Responder

Meu gatinho tá com esporotricose e minha mãe vai levar ele na zoonose hoje. Porém eu sou muito apegada a ele e estou chorando muito por ter q deixá-lo. Eu queria saber se tem como pegar ele de volta depois que ele estiver bem. Se não for possível, porque ?

Responder

Flávia boa noite, favor entrar em contato com a equipe da Zoonoses, tenho certeza que você será bem atendida.

Responder

Boa noite! fiquei com muita dó de um gatinho abandonado enfrente da escola da minha filha, trouxe para casa porque não suportei ver esse bebezinho tão pequeno miando de fome e sede nas ruas. mas eu tenho dois gatos e não tenho condições de cuidar de mais um, ele esta com muita diarreia e esta a cada dia mais debilitado, preciso de ajuda. já não sei oque fazer, me apaguei muito a ele, mas não temos condições financeira de cuidar de três gatos. hoje ele mau conseguia levantar, por favor entrem em contato comigo, não aguento ver ele assim.

Responder

Camila boa noite, gentileza entrar em contato com a Zoonoses pelos através dos telefones, 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder
Andressa Batista da silva
30 de maio de 2021 1:32 am

Meu nome é andressa e tenho 7 cachorro e os sintomas são de raiva não tenho condições de pagar veterinário pra todos pra examinar eles pra ver se é doença da raiva ou não mais td os sintomas indica que sim

Responder

Andressa boa tarde, gentileza entrar em contato com a equipe da Zoonoses através do telefone 11-4715-7221

Responder
Andressa Batista da silva
30 de maio de 2021 1:34 am

São 5 filhotes de 2 meses e uma filhote de 6 meses e mais 2 de 7 anos

Responder

Tenho um cachorro e está bem velhinho, de médio porte, estou preocupada porque está doente. Quando vier a falecer o que devo fazer?

Responder

Andreia boa tarde, gentileza entrar em contato com a equipe da Zoonoses para melhores informações.

Responder

Olá tudo bem?
Pfv tenho um vizinho, no mesmo quintal que eu, pq é compartilhado.
Ele tem uma cachorrinha, ela urina no quintal e faz as necessidades dela tbm, moro aqui há 4 meses, ele nunca lavou esse quintal, fiz até uma pequena reforma na frente de casa, no meu lado do quintal e proíbi que fizesse ali as necessidades, sim essa bem ali o banheiro dela. Porém o quintal vive cheio de água, lodo e mal cheiro porque ele nunca lava, o que veio ocasionar problema de saúde na cachorra dele, que também não sai a passeio e o quintal é sujo e fede, trabalho o dia inteiro ele não e mesmo assim essa falta de higiene, já abri BO na delegacia de mais tratos aos animais e tem dias, nada foi feito.
Estou procurando ajuda, tenho filho pequeno e mesmo que não tivesse.
Gosto de limpeza, já reclamei com dono da casa que tambem não toma providências. Por favor o que pode ser feito, não quero ficar doente nem que meu filho fique. Que dó da cachorrinha, mal tratada dessa forma. Nem a cachorra nem meu filho Enem eu merecemos essa sujeira toda… Ele acha que quem achar ruim que deve limpar. Só peço de fato ajuda.pfv.

Responder

Debora boa tarde, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone 11-4715-2942

Responder

Gostaria de saber se estão fazendo castração de gato , se sim como posso entrar em contato para fazer o cadastro?

Responder

Alexia bom dia, gentileza entrar em contato pelo telefone 11-4715-2942 para melhores informações.

Responder

Bom dia, na minha rua tem um gato que estar com uma ferida no nariz tem gente que fala que é doença tenho pena mas não sei oq fazer. Vcs podem me ajudar pfv?

Responder

Cristina Boa tarde, gentileza entrar em contato com a Zoonoses pelo numero de telefone 11-4715-7221

Responder

Boa tarde meu nome é Andréia moro em um prédio e infelizmente um morador insiste em alimentar os pombos aqui no pátio do prédio e todos os moradores já conversaram mas infelizmente ele insiste em alimentar os pombos oferecendo a todos que moram aqui os riscos de doenças o que devo fazer?

Responder

Andreia boa noite, gentileza entrar em contato com o setor de Zoonoses pelo numero de telefone 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder

Queria saber o que fazer com o cachorro da minha vizinha ele já me mordeu a noite e de dia quando eu passeava com meu outro cachorro ainda pequeno o mesmo cachorro da minha vizinha veio a atacar não sei o que fazer ?

Responder

Julia boa noite, gentileza entrar em contato com o setor de Zoonoses pelo numero de telefone 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder
Luccas Faria Lopes Da Silva
5 de agosto de 2021 6:39 am

Tem um cachorro que fica na minha rua que não tem dono e é violento, toda vez que me vê passar, ele corre atrás mim pra tentar me morder, já fui mordido uma vez e não tenho o que fazer pois ele fica andando na minha rua

Responder

Luccas boa noite, gentileza entrar em contato com o setor de Zoonoses pelo numero de telefone 11-4715-7221 ou 11-4715-2942

Responder

Boa tarde meu nome e sainara um gatinho foi atopelado ele esta com mais de 8dias que nao come nada e o olho dele esboguelo pra fora e fica saido sangue ele nao quer come nada porque quebro os dente . Nao sei o quer fazem e nao teinho codiçoes de paga uma cosulta pra ele o olho dele esta muuito feio ele esta mau

Responder

Boa tarde Sainara, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,
Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Olá, estou indo embora de são paulo, e tenho um cachorro ele é muito bravo e não conseguir ninguém que adotasse! como faço? alguém pode mim ajudar?

Responder

Boa tarde Vitória, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Boa tarde. Minha mãe faleceu em 2018 e fiquei cuidando do cachorro com muito zelo até hoje, até que ele tentou me atacar e minhas cachorras interviram e ele atacou uma delas e quase a matou atacando pela garganta erguendo-a e fui tentar separar por impulso. Só não aconteceu uma tragédia porque meu marido separou jogando água neles. Agora temo pela minha família pois tenho bebê de 4 meses, um sobrinho de 6 anos, meu marido e mais uma sobrinha aqui em casa. Não tenho coragem de cuidar dele sem medo de que ele tente me atacar novamente ou qualquer morador de casa. Precisamos de ajuda!

Responder

Nayara boa tarde, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Perla Dias da Silva da rocha
6 de outubro de 2021 6:22 am

Eu queria castra minhas gatas mais não consigo marcar nunca

Responder
Perla Dias da Silva da rocha
6 de outubro de 2021 6:24 am

Uma está até com problema nas mamas pois dei injeção para ela não pegar filhote e ela estar com umas bolas nas mamas.
Por favor me ajudem

Responder

Perla boa tarde, procure um veterinário, isso foi causado pela injeção anticoncepcional!!!

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Carlos Henrique Lima
6 de outubro de 2021 2:11 pm

Se tem um cão abandonado na rua e dou alimento para ele, isso me configura dono dele? o que diz a lei sobre o que define um dono de cão? Para quem me reporto sobre cão definitivamente abandonado há dias?

Responder

Cotato: 11 4715-2942

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Os animais pegos pelo Controle de Zoonoses são sacrificados mesmo estando saudáveis.

Responder

Marcello, existe a Lei 14.228/21, que proíbe a eutanásia de cães e gatos de rua por órgãos de zoonose, canis públicos e estabelecimentos similares, exceto em casos de doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis que coloquem em risco a saúde humana e de outros animais.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Ola meu nome e luiz moro em ipatinga bairro bethania e eu tenho um pasto alemao meu sonho era ter um e agr q eu consegui minha familia esta mandando eu da ele pro outros mais eu nao tenho escolha estao todos contra mim eu estoh procurando alguem q da carinho da amor a ele por favo se vcs for fica com ele me promete q vai cuida dele como um filho por favo

Responder

Contato: 11 4715-2942

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Rodrigo Pereira da Silva
10 de novembro de 2021 11:46 am

Olá em uma casa vizinha da minha há um hotel de cachorro fora 5 cachorros da própria dona do estabelecimento e os mesmos ficam latindo e uivando além dos barulhos e ruídos se tratam de animais de grande porte onde posso fazer a denuncia

Responder

Boa tarde Rodrigo, denuncie no telefone 11-4715-2942

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Olá, ontem às 6 da manhã apareceu uma gatinha aqui em casa, ela deve ter cerca de um mês eu acho, aqui em casa as grades são teladas então minha família acha que alguém jogou a coitadinha por cima da grade, não temos animais de estimação aqui pois trabalhamos com churrasquinhos e marmitas e não temos espaço no orçamento, não temos como cuidar dela e nem sabemos muito bem como cuidar de gatos, quero saber como proceder nesse caso, acho horrível quem abandona animais nas ruas mas não sei o que fazer, por favor me aconselhem.

Responder

Boa tarde Vitória, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Barbara Hernandes
21 de novembro de 2021 7:36 pm

Por favor preciso de ajuda não tenho aonde deixar o gato que é de rua e entrou sorrateiramente aqui em casa. Ele está na garagem e é bem pequeno ele não é agressivo porém não tenho condições de ficar com ele deixá-lo aqui não é uma opção. Só pude dar água e uma caixa de papelão com um pano para wue não fique com frio a noite, mas é muito temporário e é urgente que eu encontre um lar pra ele

Responder

Boa tarde Barbara, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Elizabeth Antônia da Silva
27 de novembro de 2021 11:35 am

Minha cadela inchou a orelha direita.eu não tenho condições de levar num veterinário. Pq a zoonozes não pode drenar .Deviam ajudar

Responder

Boa tarde Elizabeth, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Tenho uma cachorra chow-chow cinza de 1 ano a Luna, por ser dessa raça os pet shop e os hospitais animais não atende por ela ser de porte médio e ter entrado no cio deixou ela brava, eu e a minha mãe que damos banho, cortamos o pelo, fazemos o que podemos, mas ela não tomou as vacinas, a minha mãe está com sequelas pós Covid-19 está em acompanhamento. Não consigo tratar dela sozinha pois ela não deixa chegar perto, ela já atacou a minha mãe duas vezes ela ainda está com as marcas nas mãos, braços e perna, agora ela está com coceira, temos remédio para pulgas e carrapatos e ela usa cólera para isso, mas não temos mais como cuidar pois sou só eu é a minha mãe que é idosa de 68 anos.
Eu estou desesperada pois hoje ela voltou a me atacar, amamos muito ela, mas não posso fazer muita coisa pois sei que ela também necessita de cuidados.

Responder

Boa tarde Amanda, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Bom dia, minha casa está infestada de pombos que ficam no terraço, já teve ninhada e ficam muito próximos à caixa d’água. A zoonoses pode fazer algo a respeito

Responder

Milena boa tarde, gentileza entrar em contato com a Vigilância Sanitária através do telefone 11-4715-2942.

Responder
Flora Coutinho Vasconcelos
22 de março de 2022 6:06 pm

Olá Boa tarde ! Gostaria da ajuda de vcs,pois,meu filho …encontrou um cachorro perdido na rua,enquanto fazia venda no bairro Jardim Santarém , dia 18 /03/22 …o cachorro parece que era , muito bem cuidado…e tbm é um lindo animal. Porém, não podemos ficar com ele…pois já temos um em casa…e a situação financeira da família…não vai nada bem. Já postamos em nossas redes sociais…mas não apareceu o seu dono. Estamos bem aperiados, com ele aqui em casa. Moramos no bairro Uruará.

Responder

Boa tarde Vitória, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder
Mariseth Araújo Silva
1 de abril de 2022 8:07 pm

Boa noite! Tenho 04 cachorros: Leão, Sansão, Pretinha e Neguinha. Leão está doente. Apresenta perda expressiva de peso, se isola dos outros pets, pouca interação, fraqueza muscular, olhos com remela e, hj pela manhã está com andar cambaleante e apresenta espasmos musculares. Só não perdeu o apetite. Não tenho condições de levá-lo ao veterinário particular. Tô preocupada de ser doença grave. Por favor, alguém pode me ajudar? Obrigada.

Responder

Boa tarde Vitória, o correto é procurar uma ONG, pois a Zoonoses recolhe somente animais com doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis.

Att,

Giuliano Bartoletti
Diretor de Divisão de Vigilância
Sanitária e Epidemiológica / Zoonoses
11 4715-2942

Responder

Boa noite, presenciei hoje um cachorro de rua que tentou morder um pedestre na calçada e depois avançou em mim. Na zona oeste, perus. Como proceder nestes casos?

Responder

Bernardo boa tarde, voce deve procurar o Centro de Zoonoses de Seu Municipio.

Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Skip to content